Por sugestão de uma amiga interessada em reunir o grupo e incentivar a leitura, criamos de forma bastante informal, um CLUBE DE LEITURA que está em plena atividade e já debate (outubro de 2011) seu quarto livro. Nossos encontros são mensais e  recheados de muitas discussões. Como não somos experts, muito menos críticos literários, debatemos os sentimentos que os livros nos proporcionam, o que tem se mostrado muito rico do ponto de vista do crescimento individual e da convivência coletiva fraterna.
         A criação deste Blog é para que registremos a trajetória do Clube. O nome TOSCANA, surge para homenagear  aquela região italiana que, após  uma viagem que fizemos ( entre 11 casais)  para visitá-la, em abril de 2011, ela ficou indelevelmente marcada nos nossos corações. Como a criação do CLUBE DE LEITURA,  decorreu da parceria desenvolvida naquela viagem, a continuidade  do convívio daquele grupo (hoje ampliado), também justifica a homenagem.
         Este  Blog, que é restrito às participantes do CLUBE DE LEITURA TOSCANA, poderá conter  toda espécie de comentários, sugestões e propostas referentes a livros (lidos ou não), filmes, músicas,  peças teatrais e/ou shows , sobre os quais queiramos compartir impressões.
Bem vindas amigas!

quinta-feira, 20 de julho de 2017






Ata de nossa reunião de 12 de julho de 2017



Hora: 19h 30min
Lugar: Mandariner, na Rua Alfredo Torres, 282
Livro: Rio das Flores, de Miguel Sousa Tavares

Nossa reunião começou às 19h30min, e, como sempre, foi ótima! Compareceram, Andrea, Cléo, Denise, Evelyn, Karen, Karin, Lídia, Malu, Suzana e Titina. 
O local, escolha da Cléo, na Cidade Baixa, foi muito apreciado.  O restaurante abriu exclusivamente para o Clube de Leitura, permitindo total privacidade. E o jantar foi delicioso: como entrada, creme de cogumelo com ovo 64 graus e azeite de cumaru; a seguir, como primeiro prato tivemos um risoto de ervilha com queijo feta e picles de pêra e como segundo prato um cordeiro compactado com...de moranga e farofa com alecrim.  E de sobremesa semifredo de castanha sob molho de laranja.   Tudo deliciosíssimo!!! Jantamos degustando vinho branco chardonnay e sauvignon blanc.   
Após o brinde inicial, fotos na mesa e, quanto à clássica foto, desta vez inovamos, tirando-a no final do jantar, de costas para a câmera, apontando para o desenho muito bonito, decoração, que havia na parede do restaurante.
Voltando ao debate, iniciou-se com um muito breve resumo que apresentei sobre o autor, Miguel Sousa Tavares, um escritor português nascido em 1950, com bom destaque em Portugal.  Foi agraciado, ou figurado como finalista, em vários prêmios literários portugueses  e europeus. Os seus livros estão publicados em vários países, incluindo França, Itália e Brasil.  No livro, é mantida a grafia original portuguesa.
      Muitas gostaram bastante do livro, outras não o apreciaram. Em resumo,
nas suas mais de 600 páginas, a obra descreve a história de três gerações de uma família latifundiária alentejana ao longo de trinta anos. Entre o ano de 1915, em Sevilha, e o Vale do Paraíba em 1945, trinta anos da história do Século XX correm ao longo das páginas deste romance, com cenário no AlentejoEspanha e Brasil. Através da saga dos Ribera Flores, proprietários rurais alentejanos, o leitor é transportados para os anos tumultuosos da primeira metade de um século marcado por ditaduras e confrontos sangrentos, onde o caminho que conduz à liberdade parece demasiado estreito e o preço a pagar demasiado alto. Entre o amor comum à terra que os viu nascer e o apelo pelo novo e desconhecido, entre os amores e desamores de uma vida e o confronto de ideias que os separam, dois irmãos seguem percursos diferentes, cada um deles buscando à sua maneira o lugar da coerência e da felicidade.  Segundo o autor, Rio das Flores resulta de um minucioso e exaustivo trabalho de pesquisa histórica, durante três anos, que serve de pano de fundo a um enredo de amores, paixões, apego à terra e às suas tradições e, simultaneamente, à vontade de mudar a ordem estabelecida das coisas. Três gerações sucedem-se na mesma casa de família, tentando manter imutável o que a terra uniu, no meio da turbulência causada por décadas de paixões e ódios como o mundo nunca havia visto.

Finalizando, foram escolhidos os dois próximos livros: O Mar, de John Banville e  O Lírio do Vale, de Balzac, e marcado o próximo encontro para o dia 15.08 (excepcionalmente uma terça-feira).
Até lá e boas leituras para todas!
Titina.

domingo, 25 de junho de 2017





Ata de nossa reunião de 31 de maio de 2017

Hora: 19h 30min
Lugar: Masala Café e Bistrô, na RuaBarão de Santo Ângelo, 162
Livro: Biografia Involuntária dos Amantes, de João Tordo

Nossa reunião começou mais cedo, às 18h30min, no escritório e showroom da Cléo, que nos recebeu com muito carinho, além de espumante e bolachinhas, balinhas, etc.  As amigas conheceram as lindas novidades de sua criação, sendo recebidas pela Cléo e pela sua filha, Letícia.  
A seguir, às 19h30min, se iniciou a reunião, já no Masala Café e Bistrô, no prédio ao lado. O encontro, como sempre, foi ótimo! Compareceram, Cléo, Denise, Evelyn, Karen, Karin, Lídia, Lise, Suzana e Titina.
O local é bonito e aconchegante e a comida estava deliciosa. Jantamos degustando vinho branco, e foram servidos de entrada caldo verde ou sopa de cebola francesa. A seguir, atum selado com gergelim negro e bombons de bacalhau e de sobremesa massa folhada com leite de côco, pasta de amêndoas e cerejas.  Tudo ótimo. 
Após o brinde inicial, a clássica foto e, então, passamos ao debate. 
De início fiz um muito breve resumo sobre o autor, João Tordo, um escritor português de 41 anos que vem se destacando em Portugal, tendo  sido agraciado, ou figurado como finalista, em vários prêmios literários portugueses  e europeus. Os seus livros estão publicados em vários países, incluindo França, Itália e Brasil.  No livro, é mantida a grafia original portuguesa.
O livro foi apreciado por algumas amigas, mas outras não gostaram muito. Houve muito debate sobre melancolia, obsessões e angústia. A história do livro se inicia quando, em uma estrada da Galícia, na Espanha, dois amigos atropelam um javali. Enquanto resolvem os trâmites burocráticos, o poeta mexicano Saldaña Paris pede ao companheiro de viagem, um professor universitário, que é o narrador do livro e cujo nome não se fica sabendo, que leia um manuscrito deixado por Teresa, sua ex-mulher, com quem foi casado por cinco anos, e grande paixão de sua vida. A leitura do manuscrito, com memórias de Tereza, leva o professor a tentar entender a origem da tristeza do amigo e tentar reconstituir a então fragmentada história desses amantes. No romance o autor escreve sobre o amor, os desejos, mas principalmente sobre obsessões, como concluem as amigas.  Como bem sintetiza a Denise, o livro é muito profundo, sobre a vida e o que as pessoas fazem dela, a partir das bagagens recebidas e daquelas que escolhem também por carregar. A trama é triste e melancólica.  Não há mocinhos, somente pessoas marcadas pelo destino que escolhem levar. 
Finalizando, foi marcada a data do próximo encontro para o dia 12/07, com maior interregno entre as reuniões para permitir a leitura do livro escolhido, já na reunião anterior, que é o Rio das Flores, um livro grande, com mais de seiscentas páginas, de Miguel de Souza Tavares, outro escritor português.  


Até lá e boas leituras para todas!
Titina.


segunda-feira, 8 de maio de 2017



Ata de nossa reunião de 03 de maio de 2017

Hora: 19h 30min
Lugar: House Café, na Rua Dona Laura, 19
Livro: Sábado de Ian McEwan

Nossa reunião se iniciou com a deliberação acerca da necessidade de se continuar a redigir ata de nossos encontros.  Após algum debate, restou decidido que se continuará a redigir uma ata, como uma forma de preservar a memória do Clube, optando-se, contudo, em simplificá-la.  Coube a mim redigir esta primeira ata em sua nova versão.
O encontro, como sempre, foi ótimo! Compareceram, Cléo, Denise, Evelyn, Karen, Karin, Lídia, Lise e Titina.
A mesa estava muito bonita. Jantamos degustando vinho branco português, e foram servidos entrada de bacalhau, salmão e sobremesa. Fizemos o brinde, a clássica foto com o livro e, então, passamos ao debate.
De início fiz um muito breve resumo sobre o autor, Ian McEwan, um escritor britânico de destaque que vem se convertendo em um dos mais conhecidos romancistas da sua geração. O livro, contudo, não foi apreciado por todas as amigas, havendo quem não tenha gostado por ser muito descritivo em determinadas passagens. Sábado é um livro de ficção e consiste no relato de todas as horas de um dia na vida de Henry Perowne, neurocirurgião londrino altamente conceituado. O dia em questão é 15 de fevereiro de 2003, um sábado. A folga do médico será abalada por dois acontecimentos paralelos, um público e outro privado - no centro de Londres se prepara a maior manifestação popular já vista na cidade, com 1 milhão de pessoas nas ruas para contestar a invasão iminente do Iraque; ao mesmo tempo, um pequeno acidente de trânsito, envolvendo seu carro e o de um homem com graves problemas neurológicos - problemas que Perowne conhece como poucos - trará consequências graves para o médico e sua família, que são contadas no livro.
Finalizando, foi escolhido para o próximo encontro o livro “Biografia Involuntária dos Amantes” de João Tordo e, para junho, “Rio das Flores” de  Miguel de Souza Tavares.  
Nossas próximas reuniões ficaram marcadas para as últimas quartas-feiras dos próximos meses, dias 31.05 e 28.06, em locais a serem escolhidos.
Até lá e boas leituras para todas!

Titina


quinta-feira, 23 de março de 2017

Reunião de Dezembro 2016

ATA REUNIÃO ENCERRAMENTO ANO - NATAL 2016
LIVRO DO MÊS: RETRATO DE DORIAN GRAY




Como tradição do Clube de Leitura,  dia 5 de dezembro de 2016, às 19:30hs, fomos recebidas pela nossa colega Karen Teixeira em seu apartamento tradicionalmente decorado com motivos natalinos , com  o cuidado e atenção primorosos.
As fotos confirmarão o astral e a linda recepção. Ambiente família, aconchegante, carinhosamente decorado e pra lá de descontraído.
E também como tradição, cada uma das integrantes levou um livro que gostaria de ler para sortearmos na hora, depois de finalizado o debate sobre o livro do mês – Ö retrato de Dorian Gray” , Oscar Wilde.

Ainda sob efeito da intensa  sororidade da noite anterior em que comemoramos o aniversário da colega Lise Garcia, estávamos presentes quase todas. Ausência marcante da nossa fotógrafa oficial e colega indispensável Evy  e de nossa fundadora mor e relatora oficial Dedea .

Foi esperada a chegada de todas com entradinhas, drinks especiais e muito assunto sempre.
Como cheguei atrasada e por último, fui premiada com tarefa de ser a fiel  relatora do encontro e a Malu pelas fotos oficiais.

Tradicionalmente, Titina  nos apresentou uma breve biografia do autor e escritor irlandês Oscar Wilde.
Foi um influente escritor, poeta e dramaturgo britânico de origem irlandesa.
Nasceu em 16 de outubro de 1854 em Dublin Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda. Morreu em 30 de novembro de 1900 em Paris. Em 1878 saiu de Oxford e passou a morar em Londres, onde começou a ter uma vida social bastante agitada sendo logo caracterizado pelas atitudes extravagantes.  Foi convidado para ir aos EUA a fim de dar uma série de palestras sobre o movimento por ele fundado, o Esteticismo , ou Dandismo, que defendia o belo como antídoto para os horrores da sociedade industrial sendo ele mesmo um dândi . Casa-se com Constance Lloyd, filha de um rico advogado de Dublin, indo morar em Chelsea, bairro de artistas londrinos. Teve dois filhos, Cyril e Vyvyan.
O melhor Período intelectual de Oscar Wilde é o que vai de 1887 a 1895.
Acusado de crimes de natureza sexual, foi processado pela família de Lord Alfred Douglas . Condenado, sua vida mudou radicalmente. Viu-se encarcerado por dois anos com trabalhos forçados que consumiram sua saúde e fulminaram sua reputação.
Foi pioneiro na criação do filme de drama e de ação.
O seu único romance foi O Retrato de Dorian Gray.
Dado o inicio da discussão do livro que se mostrou denso, cheio de temas  e questões atuais, houveram muitas discussões e os debates foram sobre questões  de beleza, valores  sociais , morais e materiais. 
Assim como retratado no romance, a beleza se tornou  um sonho de consumo hoje. Não importando as conseqüências deste desejo.
Oscar Wilde mostra claramente este desejo, essa vontade de permanecer sempre jovem em seu livro.
 Tanto em sua época como nos tempos atuais, este pensamento afeta nosso modo de vestir, no tratamento dado às pessoas conforme seu nível social  ou intelectual e logicamente pela beleza que possuem.
Aparentemente Dorian Gray fica obcecado   com sua própria beleza e com o poder que ela exerce nas pessoas , pois num momento de loucura pede que todo o  pecado que viesse a cometer, fosse repassado para o seu retrato. E passa a fazer toda e qualquer atividade de domínio para obter este tão desejado  prazer.
 Passado algum tempo, ele encontra o pintor de seu retrato, Basil, que não o reconhece por causa de sua fisionomia que permanecia jovem.
Dorian Gray então convida o amigo para ir a sua residência onde ele revela seu segredo mostrando o quadro. Basil por sua vez fica chocado ao ver que o retrato está todo deformado com rugas e com as mãos ensangüentadas e Dorian que o culpa por tudo que  aconteceu com sua vida, num acesso de fúria mata Basil .
 E hoje, o quê as pessoas são capazes de fazer para se manterem jovens?
Ë muito diferente do nosso personagem fictício?
Estamos vivendo uma época narcísica em que o homem se tornou o centro do universo e  o senhor  de si ...

“Há duas tragédias na vida: uma a de não satisfazermos os nossos desejos, a outra a de os satisfazermos” ( Oscar Wilde)

                                       ......................................

Encerrada a discussão e análise , iniciamos o sorteio da amiga secreta só que desta vez uma novidade se fez: a idéia de “ amigo secreto com presente roubado” !!!  Sim!  Uma vez ganho o livro e mostrado às outras, quem já tivesse sido sorteada poderia exigir e trocar com a presenteada, mas uma troca por vez somente.  Complicado? Não ! foi divertido ao final.  Um “ troca troca ”  geral !!!

A Malu trouxe dois livros:  A confissão da Leoa de Mia Couto e Minha cozinha em Berlin de Luiza Weiss.  A Cléo escolheu primeiro o Mia Couto e eu fiquei com o da Luiza Weiss que segundo a Malu foi pensado diretamente na minha pessoa.
Ganhou no sorteio o livro: Amor em tempos de cólera que já havia trocado  pelo livro:  Travessuras da menina má, também de Mario Vargas Llosa.  Este trazido pela Lise que ficou com o livro: Homens imprudentemente poéticos, de Valter Hugo Mãe.

A anfitriã Karen se mostrou a mais corajosa para enfrentar o desafio e acolheu -Todos os Contos de Clarice Lispector.

A nossa presidente com seus direitos oficiais se “adonou” do  livro a Biografia de Rita Lee que eu havia ganho mas  prometendo me emprestar após sua leitura.

Já Suzana que havia trazido a Biografia de Rita Lee ficou com o livro trazido pela Titina : O Elogio da madrasta de Mário Vargas Llosa.
Titina escolheu o livro: Uma breve história da humanidade Sapiens de Yuval Noah Harari, oferecido pela Karen.

Terminado o sorteio surpresa de amigo secreto passamos à mesa de  jantar lindamente decorada com motivos natalinos onde os arranjos de flores centrais  seriam  as nossas lembranças do encontro.  Um charme!
Menu delicioso, servido com todo esmero e sob o olhar atento da anfitriã que a cada ano se supera na arte de encerrar o ano de nosso Clube de Leitura.

Muito riso, muitas confidências, muitos planos para o próximo ano que se aproxima e a promessa de estarmos sempre juntas neste caminhar em busca de  novos conhecimentos  e experiências ímpares  em nossas leituras e encontros que ainda faremos.
                                            ..................................

sábado, 8 de outubro de 2016

Reunião de 14/09/2016 O Herói Discreto


              


            Dia 14/10/2016, começamos os festejos de aniversário da Karin! Queridíssima, ela nos ofereceu um jantar no COZI , onde fizemos a reunião do Clube de Leitura Toscana e debatemos  “ O Herói Discreto” de Vargas Llosa.
Aguardamos a chegada de todas para homenagear a amiga  e começar a  reunião. Foi difícil, pois a Denise, na sua incansável função de vó, chegou beeeeeem atrasada.



               Iniciamos de maneira diferente, com a entrega do presente ao som de um bem cantado Parabéns a Você! Karinzita adorou e abriu aquele belíssimo sorriso a que já estamos habituadas. Roupa de ginástica com tênis Off White pra nossa atleta que malha todos os dias as 6:00 da matina!

              Agradou muito apresentação do autor pela Titina, pois a mesma não omitiu detalhes pessoais interessantíssimos da vida deste homem encantador. Demos boas risadas ao descobrir passagens picantes e curiosas do percurso do agora amigo íntimo,  Llosa....



              O livro era realmente muito bom, com personagens ricos de traços peculiares. Todas gostaram, e segundo a Karin está muito cotado para ser o nosso melhor livro do ano. A relação com os filhos e os próprios filhos e suas ações e reações estiveram norteando o debate que fluiu e causou alguns confrontos... todos saudáveis!

               Fizeram falta as amigas Cléo e Malu, ambas viajando. Presentes eu, Lidia, Titina, Evelyn, Suzana, Lise, Karen, Denise e a Dinamarquesa.

               A escolha do próximo livro deu bastante trabalho. Lídia trouxe vários, Titina tinha propostas,  mas venceu a sugestão da Suzana. Ela indicou “ Memórias de Adriano “ um clássico de Marguerite Yourcenar. Porém isso não é tudo... pra desespero da Lise , Lidinha resolveu propor mais um desafio... que lêssemos, aos pouquinhos, “ Uma História Descomplicada da Filosofia “ de Fernando Savater. Sendo assim, para a próxima reunião, em minha casa, vir com ‘Sócrates’  lido!



                Fomos pra mesa e o jantar estava uma delícia. Devo ressaltar, que, apesar de estarmos em um restaurante, foi a aniversariante quem decorou o cenário do nosso encontro.  O papo  estava ótimo, mas fomos surpreendidas pela saída precoce da Presidente, que precisou se ausentar por motivos quase familiares.  Resta agradecer a Karin por ter nos proporcionado mais este lindo e agradável encontro!




Beijocas,

Andrea