Por sugestão de uma amiga interessada em reunir o grupo e incentivar a leitura, criamos de forma bastante informal, um CLUBE DE LEITURA que está em plena atividade e já debate (outubro de 2011) seu quarto livro. Nossos encontros são mensais e  recheados de muitas discussões. Como não somos experts, muito menos críticos literários, debatemos os sentimentos que os livros nos proporcionam, o que tem se mostrado muito rico do ponto de vista do crescimento individual e da convivência coletiva fraterna.
         A criação deste Blog é para que registremos a trajetória do Clube. O nome TOSCANA, surge para homenagear  aquela região italiana que, após  uma viagem que fizemos ( entre 11 casais)  para visitá-la, em abril de 2011, ela ficou indelevelmente marcada nos nossos corações. Como a criação do CLUBE DE LEITURA,  decorreu da parceria desenvolvida naquela viagem, a continuidade  do convívio daquele grupo (hoje ampliado), também justifica a homenagem.
         Este  Blog, que é restrito às participantes do CLUBE DE LEITURA TOSCANA, poderá conter  toda espécie de comentários, sugestões e propostas referentes a livros (lidos ou não), filmes, músicas,  peças teatrais e/ou shows , sobre os quais queiramos compartir impressões.
Bem vindas amigas!

terça-feira, 21 de novembro de 2017

REUNIÃO DE OUTUBRO DE 2017



Ata de nossa reunião de 23 de outubro de 2017 
Hora: 19h 30min 
Lugar: UM Bar & Cozinha 
Livro: Stoner, de John Williams 

Nossa reunião começou se iniciou às 19h30min, nesse novo bar, e restaurante, e “wine store” que muitas ainda não conheciam. Foi ótima! Compareceram quase todas as integrantes do Clube de Leitura Toscana: Andrea, Cléo, Denise, Evelyn, Karin, Lídia, Lise, Malu, Suzana e Titina. 

O aperitivo foi de queijos, frios, pães, champagne rosé e vinho branco. Iniciado o aperitivo, foi feita a introdução, com um breve resumo da vida do autor,John Williams,americano, nascido em 1922, criado no nordeste do Texase que viveu até 1994. No livro, é contada a vida deWilliam Stoner, filho de humildes camponeses. Conforme resumo do site da Cultura, no livro é contada a vida de Stonerque,emboratenha nascido destinado a trabalhar a terra como seus antepassados, acaba, por acaso,adotando um caminho diferente e, motivado por sua paixão pela literatura, torna-se professor universitário. Ele casa, tem uma filha, passa pelos altos e baixos da vida, adoece, morre.Os cinquenta anos da vida de William Stoner são narrados com grande precisão e sensibilidade através de um estilo simples e elegante. São descritos seu progressivo e doloroso afastamento da família, as relações complicadas com os colegas, as amizades tragicamente marcadas pela guerra, a difícil vida conjugal, o intenso e impossível amor clandestino com uma professora mais jovem. Stoner reage às provações da vida com aparente impassibilidade e silencioso estoicismo, 
emergindo como um inesquecível e improvável heroi da vida cotidiana.As integrantes do clube gostaram muito do livro,(com poucas exceções), que gerou boa discussão.  O debate foi intenso e muito interessante.
A seguir, jantamos, com menu do Chef Carlos Kristensen: 
- entrada de mil folhas de queijo colonial, com chimia de bergamota e saladinha verde; 
- como prato principal escolheu-se entre pirarucu, com creme de milho crioulo e mini legumes assados ou arroz negro caldoso de polvo; 
- de sobremesa, sorvete de guabiroba. 
Tudo ótimo! Todas adoramos! 


Titina. 

terça-feira, 17 de outubro de 2017

REUNIÃO DE SETEMBRO DE 2017






Hora: 19h 30min
Lugar: Karin Moraes
Livro: O Lírio do Vale, de Honoré de Balzac
Nossa reunião começou às 19h30min, no lindo e aconchegante apartamento da Karin.  Foi ótima! Compareceram todas as integrantes do Clube de Leitura Toscana: Andrea, Cléo, Denise, Evelyn, Karen, Karin, Lídia, Lise, Malu, Suzana e Titina.  Fazia tempo que não se conseguia esse quórum. Sucesso total!
A reunião foi realizada na Karin que convidou as amigas para comemorar o seu aniversário. O jantar foi todo ele elaborado carinhosamente pela querida anfitriã, e consistiu em: pãezinhos, queijos, frios, patês e caponata de entrada, camarão com gorgonzola, couve flor, e brócolis, com batatas assadas.  De sobremesa,  tortas Leckerhaus.  Tudo ótimo!  Jantamos com vinho branco e tinto.
Voltando à reunião, após o brinde inicial, as amigas deram um presente  para a aniversariante,  um lenço Armani, gentilmente escolhido pela Lídia.  Tiramos a foto e passamos ao debate.
Desta vez, quem fez a introdução, falando sobre Balzac, foi a Suzana, compartilhando as aulas do prof. Moreno na recente viagem que fez com a Malu pela França, visitando locais em que viveram grandes escritores franceses, dentre os quais Balzac.  A Suzana falou sobre a vida de Balzac, sua rejeição pela mãe, dificuldades com dinheiro, sobre a Comédia Humana, os costumes da época, e o destaque de Balzac como grande conhecedor da alma feminina.  A seguir, a Lídia falou sobre o Romantismo, escola literária do século XIX e a valorização dos romances epistolares.  Houve muita discussão sobre Henriette, seu caráter, sua personalidade, dividindo-se as leitoras em interpretá-la como apaixonada ou manipuladora.   O debate foi intenso e muito interessante, embora nem todas tenham lido o livro até o fim.
Por fim, foram marcadas as datas dos próximos três próximos encontros:
23.10 - Stoner de John Willians;

22.11 - Os novos moradores de Francisco de Azevedo;
13.12 - Dias de Abandono, de Elena Ferrante.
Agendem-se, até a próxima reunião e boas leituras para todas!
Titina.


quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Ata de nossa reunião de 15 de agosto de 2017


Hora: 19h 30min
Lugar: House cafe Bistrô, na Dona Laura, 19
Livro: O Mar, de John Banville


Nossa reunião começou se iniciou às 19h30min, e, como sempre, foi ótima! Compareceram, Andrea, Cléo, Evelyn, Karen, Karin, Lídia, Lise, Suzana e Titina.  A Denise e a Malu não foram porque estavam viajando, na Rússia.

O local, escolha da Cléo, já era conhecido de todas, porque muitas reuniões já foram feitas lá.  O restaurante abriu exclusivamente para o Clube de Leitura, como nas outras vezes, permitindo total privacidade. E o jantar consistiu em: mini pãezinhos artesanais com manteiga de ervas, mini folhas orgânicas com queijo de cabra e redução de cereja, e de prato principal as amigas escolheram entre lascas de bacalhau e filé. De sobremesa, brigadeiro quente com gelato de creme e mini macarons. Tudo muito bom, jantamos com vinho branco e tinto.
Após o brinde inicial, a clássica foto e, então, passamos ao debate.

De início fiz um muito breve resumo sobre o autor, William John Banville (8 de dezembro de 1945), que escreve como John Banville e às vezes como Benjamin Black. Trata-se de um escritor irlandês, romancista, adaptador de peças de teatro e roteirista.  Reconhecido pelo seu estilo de prosa preciso, frio, forense, que vem sendo considerado "um dos romancistas literariamente mais imaginativos escrevendo na língua inglesa atual"  tendo ganho muitos prêmios literários, inclusive o Man Booker Prize em 2005 pelo livro O Mar, justamente. Ele tem sido descrito como o "herdeiro de Proust, via Nabokov.

O livro foi apreciado por poucas amigas, na verdade só pela Cléo e pela Titina.  Todas as demais não gostaram muito. Resumindo rapidamente o livro, o personagem principal é Max Morden, um historiador de arte que perde a esposa Anna depois de um período doente. A partir daí decide voltar a cidade litorânea onde passava as férias de verão com a família, na infância. O personagem relembra as pessoas que conheceu naquele época e que lá viviam; o encantamento que tinha pela família Grace e a admiração que tinha pela mãe,  Sra. Connie, a paixão por Chloe Grace, o primeiro beijo no cinema, a percepção de realidade por estar ao lado dela; os dedos unidos por uma membrana de Myles, irmão gêmeo de seu amada; fala sobre o pintor francês Pierre Bonnard; recorda de quando conheceu Anna em uma festa e como ela chamou sua atenção; o temor que sentiu quando a esposa estava grávida da filha Claire; a mulher no leito de morte; os dias na praia, antes e agora e tem grandes reflexões sobre a vida e a morte.

Por fim, foi marcada a data do próximo encontro para o dia 27/09 (quarta-feira), para discussão do livro O Lírio do Vale, de Balzac.  E foi escolhido o livro que leremos a seguir: Stoner de John Willians.
Até lá e boas leituras para todas!
Titina.

quinta-feira, 20 de julho de 2017






Ata de nossa reunião de 12 de julho de 2017



Hora: 19h 30min
Lugar: Mandariner, na Rua Alfredo Torres, 282
Livro: Rio das Flores, de Miguel Sousa Tavares

Nossa reunião começou às 19h30min, e, como sempre, foi ótima! Compareceram, Andrea, Cléo, Denise, Evelyn, Karen, Karin, Lídia, Malu, Suzana e Titina. 
O local, escolha da Cléo, na Cidade Baixa, foi muito apreciado.  O restaurante abriu exclusivamente para o Clube de Leitura, permitindo total privacidade. E o jantar foi delicioso: como entrada, creme de cogumelo com ovo 64 graus e azeite de cumaru; a seguir, como primeiro prato tivemos um risoto de ervilha com queijo feta e picles de pêra e como segundo prato um cordeiro compactado com...de moranga e farofa com alecrim.  E de sobremesa semifredo de castanha sob molho de laranja.   Tudo deliciosíssimo!!! Jantamos degustando vinho branco chardonnay e sauvignon blanc.   
Após o brinde inicial, fotos na mesa e, quanto à clássica foto, desta vez inovamos, tirando-a no final do jantar, de costas para a câmera, apontando para o desenho muito bonito, decoração, que havia na parede do restaurante.
Voltando ao debate, iniciou-se com um muito breve resumo que apresentei sobre o autor, Miguel Sousa Tavares, um escritor português nascido em 1950, com bom destaque em Portugal.  Foi agraciado, ou figurado como finalista, em vários prêmios literários portugueses  e europeus. Os seus livros estão publicados em vários países, incluindo França, Itália e Brasil.  No livro, é mantida a grafia original portuguesa.
      Muitas gostaram bastante do livro, outras não o apreciaram. Em resumo,
nas suas mais de 600 páginas, a obra descreve a história de três gerações de uma família latifundiária alentejana ao longo de trinta anos. Entre o ano de 1915, em Sevilha, e o Vale do Paraíba em 1945, trinta anos da história do Século XX correm ao longo das páginas deste romance, com cenário no AlentejoEspanha e Brasil. Através da saga dos Ribera Flores, proprietários rurais alentejanos, o leitor é transportados para os anos tumultuosos da primeira metade de um século marcado por ditaduras e confrontos sangrentos, onde o caminho que conduz à liberdade parece demasiado estreito e o preço a pagar demasiado alto. Entre o amor comum à terra que os viu nascer e o apelo pelo novo e desconhecido, entre os amores e desamores de uma vida e o confronto de ideias que os separam, dois irmãos seguem percursos diferentes, cada um deles buscando à sua maneira o lugar da coerência e da felicidade.  Segundo o autor, Rio das Flores resulta de um minucioso e exaustivo trabalho de pesquisa histórica, durante três anos, que serve de pano de fundo a um enredo de amores, paixões, apego à terra e às suas tradições e, simultaneamente, à vontade de mudar a ordem estabelecida das coisas. Três gerações sucedem-se na mesma casa de família, tentando manter imutável o que a terra uniu, no meio da turbulência causada por décadas de paixões e ódios como o mundo nunca havia visto.

Finalizando, foram escolhidos os dois próximos livros: O Mar, de John Banville e  O Lírio do Vale, de Balzac, e marcado o próximo encontro para o dia 15.08 (excepcionalmente uma terça-feira).
Até lá e boas leituras para todas!
Titina.

domingo, 25 de junho de 2017





Ata de nossa reunião de 31 de maio de 2017

Hora: 19h 30min
Lugar: Masala Café e Bistrô, na RuaBarão de Santo Ângelo, 162
Livro: Biografia Involuntária dos Amantes, de João Tordo

Nossa reunião começou mais cedo, às 18h30min, no escritório e showroom da Cléo, que nos recebeu com muito carinho, além de espumante e bolachinhas, balinhas, etc.  As amigas conheceram as lindas novidades de sua criação, sendo recebidas pela Cléo e pela sua filha, Letícia.  
A seguir, às 19h30min, se iniciou a reunião, já no Masala Café e Bistrô, no prédio ao lado. O encontro, como sempre, foi ótimo! Compareceram, Cléo, Denise, Evelyn, Karen, Karin, Lídia, Lise, Suzana e Titina.
O local é bonito e aconchegante e a comida estava deliciosa. Jantamos degustando vinho branco, e foram servidos de entrada caldo verde ou sopa de cebola francesa. A seguir, atum selado com gergelim negro e bombons de bacalhau e de sobremesa massa folhada com leite de côco, pasta de amêndoas e cerejas.  Tudo ótimo. 
Após o brinde inicial, a clássica foto e, então, passamos ao debate. 
De início fiz um muito breve resumo sobre o autor, João Tordo, um escritor português de 41 anos que vem se destacando em Portugal, tendo  sido agraciado, ou figurado como finalista, em vários prêmios literários portugueses  e europeus. Os seus livros estão publicados em vários países, incluindo França, Itália e Brasil.  No livro, é mantida a grafia original portuguesa.
O livro foi apreciado por algumas amigas, mas outras não gostaram muito. Houve muito debate sobre melancolia, obsessões e angústia. A história do livro se inicia quando, em uma estrada da Galícia, na Espanha, dois amigos atropelam um javali. Enquanto resolvem os trâmites burocráticos, o poeta mexicano Saldaña Paris pede ao companheiro de viagem, um professor universitário, que é o narrador do livro e cujo nome não se fica sabendo, que leia um manuscrito deixado por Teresa, sua ex-mulher, com quem foi casado por cinco anos, e grande paixão de sua vida. A leitura do manuscrito, com memórias de Tereza, leva o professor a tentar entender a origem da tristeza do amigo e tentar reconstituir a então fragmentada história desses amantes. No romance o autor escreve sobre o amor, os desejos, mas principalmente sobre obsessões, como concluem as amigas.  Como bem sintetiza a Denise, o livro é muito profundo, sobre a vida e o que as pessoas fazem dela, a partir das bagagens recebidas e daquelas que escolhem também por carregar. A trama é triste e melancólica.  Não há mocinhos, somente pessoas marcadas pelo destino que escolhem levar. 
Finalizando, foi marcada a data do próximo encontro para o dia 12/07, com maior interregno entre as reuniões para permitir a leitura do livro escolhido, já na reunião anterior, que é o Rio das Flores, um livro grande, com mais de seiscentas páginas, de Miguel de Souza Tavares, outro escritor português.  


Até lá e boas leituras para todas!
Titina.


segunda-feira, 8 de maio de 2017



Ata de nossa reunião de 03 de maio de 2017

Hora: 19h 30min
Lugar: House Café, na Rua Dona Laura, 19
Livro: Sábado de Ian McEwan

Nossa reunião se iniciou com a deliberação acerca da necessidade de se continuar a redigir ata de nossos encontros.  Após algum debate, restou decidido que se continuará a redigir uma ata, como uma forma de preservar a memória do Clube, optando-se, contudo, em simplificá-la.  Coube a mim redigir esta primeira ata em sua nova versão.
O encontro, como sempre, foi ótimo! Compareceram, Cléo, Denise, Evelyn, Karen, Karin, Lídia, Lise e Titina.
A mesa estava muito bonita. Jantamos degustando vinho branco português, e foram servidos entrada de bacalhau, salmão e sobremesa. Fizemos o brinde, a clássica foto com o livro e, então, passamos ao debate.
De início fiz um muito breve resumo sobre o autor, Ian McEwan, um escritor britânico de destaque que vem se convertendo em um dos mais conhecidos romancistas da sua geração. O livro, contudo, não foi apreciado por todas as amigas, havendo quem não tenha gostado por ser muito descritivo em determinadas passagens. Sábado é um livro de ficção e consiste no relato de todas as horas de um dia na vida de Henry Perowne, neurocirurgião londrino altamente conceituado. O dia em questão é 15 de fevereiro de 2003, um sábado. A folga do médico será abalada por dois acontecimentos paralelos, um público e outro privado - no centro de Londres se prepara a maior manifestação popular já vista na cidade, com 1 milhão de pessoas nas ruas para contestar a invasão iminente do Iraque; ao mesmo tempo, um pequeno acidente de trânsito, envolvendo seu carro e o de um homem com graves problemas neurológicos - problemas que Perowne conhece como poucos - trará consequências graves para o médico e sua família, que são contadas no livro.
Finalizando, foi escolhido para o próximo encontro o livro “Biografia Involuntária dos Amantes” de João Tordo e, para junho, “Rio das Flores” de  Miguel de Souza Tavares.  
Nossas próximas reuniões ficaram marcadas para as últimas quartas-feiras dos próximos meses, dias 31.05 e 28.06, em locais a serem escolhidos.
Até lá e boas leituras para todas!

Titina